Comércio e representações de produtos agrícolas Ltda.
(17) 3361.1589
(17) 3361.4407
05 out 2018

Controle de pragas é tema de palestras técnicas em Olímpia e Monte Aprazível

Com foco em orientar produtores rurais sobre as principais ações de manejo para eliminação e controle de pragas em canaviais, o Grupo Safra Rica, em parceria com a Tereos Açúcar & Energia Brasil, promoveu nesta semana, duas palestras técnicas sobre o tema voltada a produtores rurais.

No dia 02/10, o evento foi realizada em Olímpia, na Realizzare Eventos. Já no dia 03/10, em parceria com a Associação dos Plantadores de Cana da região de Monte Aprazível (Aplaca), a palestra foi em Monte Aprazível (SP).

Em ambas, o palestrante foi o engenheiro agrônomo, Newton Macedo, especialista no manejo de pragas.

 

 

27 ago 2018

SIMPÓSIO SOLUÇÕES PARA UMA SAFRA RICA – SÃO JOAQUIM DA BARRA

A Safra Rica, Bayer e Samarita, com grande satisfação vem agradecer a todos que participaram do “Simpósio Soluções para uma Safra Rica” – que aconteceu no último dia 21”.

Temos certeza que este evento contribuiu para o crescimento dos produtores de São Joaquim da Barra e Região.

Não poderíamos deixar de agradecer aos palestrantes convidados que se dispuseram a compartilhar o seu conhecimento e principalmente aos convidados os quais vieram dar vida ao evento com sua presença.

Agradecemos também pelo empenho e esforço a todas as pessoas que contribuíram para realização do evento.

Ficam a nossa satisfação e agradecimento pela sua presença.

Aproveitamos a oportunidade para solicitar que preencham nosso questionário, pois seu feedback é muito importante para melhorarmos cada vez mais!

Qual foi sua satisfação em relação ao Simpósio Soluções para uma Safra Rica?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

Quais temas te despertou maior interesse?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

Como foi a organização e estrutura do evento?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

Com a relação aos temas e tempo das palestras foram suficientes?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

Você participaria de outro evento realizado pela Safra Rica/Bayer?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

Como voce ficou sabendo do evento?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

Você participaria de outro evento realizado pela Safra Rica/Bayer?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

 

28 maio 2018

SAFRA RICA PRESENTE NO 1º DIA DE CAMPO CANA DE AÇÚCAR EM MORRO AGUDO

Através do Sindicato Rural de Morro Agudo, foi realizado no ultimo dia 26, o 1º Dia de Campo de Morro Agudo, e teve como tema principal a Cana-de Açúcar, onde foram tratados assuntos como Meiosi, produção de mudas e épocas de plantio para a cultura.

Os participantes puderam conferir no local, vitrine de MPB e a área de Meiosi e  palestras sobre MPB: Uso na atualização de plantel varietal de cana-de-açúcar, com o IAC – Ribeirão Preto, meiosi na reforma dos canaviais, com Renato Trevizoli, instrutor do Senar e produtor de mudas e Tecnologias para aumento da produtividade no canavial.

19 mar 2018

Palestra” Nutrição em Cana Planta e Soluções em Agricultura de Precisão”

A Safra Rica, juntamente com Samarita, Associação dos Fornecedores de Cana da Região de Catanduva e Itaeté Maquinas, presentearam no ultimo dia 15 de março os produtores de Catanduva e região com uma palestra sobre “Nutrição em Cana Planta”, ministrada pelo Luiz Marin ( Samarita) e “Soluções em Agricultura de Precisão” ministrado por Eduardo ( Itaeté Maquinas).

19 jan 2018

18/01/2018 – DIA DE CAMPO – EFICIÊNCIA E RESIDUAL DE CURBIX PARA CONTROLE DA CIGARRINHA

A Safra Rica, em parceria com Aplacana e Usina Moreno realizou no último dia 18 Dia de Campo na cidade de Monte Aprazível -SP, onde foi apresentado a eficiência e residual de Curbix para controle da cigarrinha.

A incidência das cigarrinhas das raízes (Mahanarva Fimbriolata) aumentou na década de 90 devido à mudança do sistema de colheita para cana crua e a praga foi ganhando importância com o passar de cada safra. Atualmente, a cigarrinha das raízes está presente em diversas regiões, com elevadas populações no Centro-Sul e em alguns Estados do Nordeste do País, causando danos severos à produtividade e à qualidade da matéria-prima.

O clima apresenta grande influência na dinâmica populacional dessa praga, pois com o início da estação chuvosa ocorre a eclosão dos ovos, aumentando o número de indivíduos. O ciclo biológico da cigarrinha das raízes apresenta duração média de 60 dias, o que possibilita a presença de cerca de três gerações da praga a cada safra.

A espécie é encontrada com mais facilidade na cana soca, porém, em regiões com alta pressão populacional ou em áreas próximas às pastagens, pode-se encontrar a espécie até mesmo em cana planta.

O nome da praga está ligado ao seu hábito alimentar: quando jovens, se alimentam das raízes e radicelas das plantas de cana; entretanto, os danos são causados tanto pelas ninfas quanto pelas formas adultas.

As ninfas são responsáveis pela sucção de grande quantidade de água e nutrientes das raízes das plantas, e quando adultas, sugam a seiva nas folhas, extraindo material que seria utilizado para fotossíntese. Ao se alimentar, a praga libera uma saliva tóxica, que provoca necrose nos tecidos foliares e radiculares, prejudicando, assim, o desenvolvimento da cultura.

A intensidade dos danos causados pela praga depende, dentre outros fatores, do nível populacional, do estádio de desenvolvimento da cultura no momento do ataque, e do período de convivência da praga com a cultura. A cana colhida em início/meio de safra, por estar mais desenvolvida no momento em que a praga aparece, apresentará perdas menores. Já a cana colhida no final da safra estará pouco desenvolvida no início do período das chuvas, e por isso, sofrerá mais com os danos causados pela praga.

Vários pesquisadores já estudaram a influência da cigarrinha das raízes na cana-de-açúcar, e de acordo com alguns autores¹, a Mahanarva Fimbriolata pode provocar reduções de produtividade que variam de 25% a 60% na cana soca, e chegam a 11% na cana planta. A praga também provoca redução dos rendimentos industriais e perda na qualidade do produto final, o açúcar.

Existem várias estratégias para o manejo e controle dessa praga e o uso de inseticidas químicos tem se mostrado uma eficiente forma de controle. Alguns produtos, porém, começam o controle de forma efetiva somente de 15 a 20 dias após serem aplicados e para a obtenção de um manejo eficiente é necessário um rápido efeito de choque. Quanto maior o período de convivência da praga com a planta, maiores serão os danos em produtividade e qualidade da matéria-prima.

Em 2010, a Bayer CropScience trouxe sua mais nova ferramenta de manejo para o controle das cigarrinhas das raízes na cultura da cana. O inseticida Curbix conta com três grandes diferenciais: rápido efeito de choque, manutenção dos níveis de infestação da praga (sem oscilação e sem “picos” quando as condições climáticas tornam-se favoráveis à praga), além de pertencer a um novo grupo químico para controle de cigarrinhas, sendo ideal para o manejo por possui um modo de ação diferenciado. Assim, a convivência da praga com a cultura é muito menor e, consequentemente, os danos e perdas também. Se a aplicação ocorrer logo no início da primeira geração da praga, as perdas citadas deixam de ocorrer.

Por: Juliano Barela

Referências Bibliográficas:

Dinardo-Miranda, 2000. Influência da cigarrinha-das-raízes, Mahanarva fimbriolata, sobre a qualidade tecnológica da cana-de-açúcar.

ALMEIDA, J.E.M, 2006 Resultados do controle biológico da cigarrinha da raiz da cana-de-açúcar. In: REUNIÃO ITINERANTE DE FITOSSANIDADE DO INSTITUTO BIOLÓGICO – RIFIB

PINTO, A. de S, 2006 Manejo das principais pragas da cana-de-açúcar. In: SEGATO, S.V.; PINTO, A. de S.; JENDIROBA, E.; NÓBREGA, J.C.M.

20 dez 2017

Safra de cana-de-açúcar deve chegar a 635 milhões de toneladas.

A produção de cana-de-açúcar da safra 2017/2018 deve chegar a 635,59 milhões de toneladas, com um recuo de 3,3% frente às 657,18 milhões da temporada anterior. Neste 3º levantamento da atual safra realizado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e divulgado nesta terça-feira (19), a estimativa traz também a área colhida, a produtividade e o percentual destinado a açúcar e álcool.

A queda de produção é resultado da retração de área. O recuo só não é maior graças ao pequeno aumento de 0,2% na produtividade, que  passou de 72,62 toneladas por hectare da safra anterior para 72,73 toneladas.

A área colhida deve sofrer uma redução de 3,4%, passando de 9,05 milhões para 8,74 milhões de hectares. A disponibilidade menor tem a ver com a desistência e devolução de áreas de fornecedores que têm plantações distantes das unidades de produção, principalmente aquelas em que há dificuldade de mecanização.

A estimativa de açúcar deve atingir 39,46 milhões de toneladas, ou seja, 2% a mais que a safra passada. Agora, na reta final da safra, com 92,9% da cana já moída, as unidades aumentam a destinação para o etanol em função de sua melhor rentabilidade. No entanto, a produção ainda deve ser menor que a do ciclo anterior.

A previsão é de 27,05 bilhões de litros de etanol, com um recuo de 2,7%. Enquanto o hidratado cai 5,2%, saindo de 16,73 para 15,87 bilhões de litros, o anidro sobe de 11,07 para 11,18 bilhões de litros, com aumento de 0,9%.

Ao longo do ano-safra, a Conab faz quatro estimativas da cana-de-açúcar. Os dados deste terceiro levantamento foram coletados entre os dias 19 de novembro e 2 de dezembro.

Fonte: Conab