Comércio e representações de produtos agrícolas Ltda.
(17) 3361.1589
(17) 3361.4407
29 jan 2018

Realizado no último dia 25 Palestra sobre “Novas tendência de controle de Pinta Preta”.

Realizado no último dia 25 Palestra sobre “Novas tendência de controle de Pinta Preta”.

Palestra ministrada pelo pesquisador especialista na doença Geraldo José da Silva Junior (Fundecitrus)

No Brasil, a pinta preta ocorre atualmente em todos os estados das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste; em Rondônia e no Amazonas, na região Norte; e na Bahia, na região Nordeste. No parque citrícola paulista, a doença foi detectada em 1992 e tem causado queda acentuada de frutos no centro e leste do estado, principalmente em pomares mais velhos, de variedades de maturação tardia, nos quais o manejo não é realizado corretamente.

Na palestra os convidados foram presenteados com o livro “Pinta Preta: a doença e seu manejo”. A versão digital da publicação está disponível gratuitamente no site do Fundecitrus (www.fundecitrus.com.br/comunicacao/manuais) O livro fala sobre, sintomas, perdas e danos, procedimentos para exportação e diferentes estratégias de manejo da pinta preta.  Ele é direcionado a produtores, pesquisadores e profissionais do setor citrícola.

A palestra foi ministrada pelo pesquisador especialista na doença Geraldo José da Silva Junior (Fundecitrus)

12 jan 2018

TERMINA DIA 15/01 O PRAZO PARA O CITRICULTOR INFORMAR AS INSPEÇÕES DO CANCRO E GREENING

O citricultor (proprietário, arrendatário ou ocupante a qualquer título) do estado de São Paulo tem até o dia 15 de janeiro para informar à Coordenadoria de Defesa Agropecuária, as inspeções e as eliminações de plantas com sintomas do greening e do cancro cítrico realizadas no pomar durante o segundo semestre de 2017.

O envio das informações deve ser feito pelo Sistema de Gestão de Defesa Animal e Vegetal (Gedave) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento. O acesso ao sistema é feito pelo endereço https://gedave.defesaagropecuaria.sp.gov.br/. O citricultor deve informar, no mínimo, uma inspeção obrigatória por trimestre, ou seja, ao menos duas inspeções devem ter sido realizadas durante o semestre.

Mesmo não encontrando plantas cítricas com sintomas de greening e cancro cítrico, ou tendo sido eliminadas todas as plantas cítricas da propriedade é preciso preencher o relatório e enviá-lo, pois este procedimento é de comunicação obrigatória.

Para eventuais comprovações em auditorias realizadas pelo órgão oficial de defesa agropecuária a orientação é que o relatório enviado seja impresso e guardado.

Deixar de entregar informar no relatório as inspeções e as eliminações de plantas com sintomas do greening e do cancro cítrico sujeita o citricultor a multas que variam de 100 a 500 unidades fiscais do estado de São Paulo (Ufesps). O valor de cada unidade é de R$25,70.

Por Teresa Paranhos

Assessoria de Comunicação

Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo

(19) 3045.3447

Fonte: FUNDECITRUS

31 out 2017

População de psilídeos aumenta pelo segundo mês consecutivo

Fonte: FUNDECITRUS

Depois de registrar crescimento no mês de agosto, a população do psilídeo Diaphorina citri  aumentou 115% em setembro de acordo com o Sistema de Alerta Fitossanitário do Fundecitrus, que monitora a presença do inseto transmissor do greening (huanglongbing/HLB) em armadilhas instaladas em todo o parque citrícola de São Paulo e Minas Gerais. Altos índices de psilídeos elevam as chances de transmissão da doença para plantas de citros saudáveis.

Em comparação com agosto e setembro de 2016, o aumento na captura do inseto foi de 81%.

Segundo o pesquisador do Fundecitrus Marcelo Miranda, os números refletem a maior ocorrência de brotações neste ano. “Picos no final do inverno e início da primavera acontecem anualmente devido ao aparecimento dos brotos nas plantas, contudo, a incidência de brotações em agosto e setembro de 2017 foi 50% maior do que no mesmo período do ano passado”, explica.

Os números indicam que o controle do psilídeo deve ser intensificado, adverte Miranda. “A recomendação é que os citricultores fiquem atentos aos alertas emitidos pelo Sistema e mantenham a regularidade das aplicações enquanto a população de psilídeos estiver alta”, diz.

O Alerta Fitossanitário irá emitir comunicados aos produtores nos períodos de alta população de psilídeos. Um controle coordenado conjunto já está previsto entre os dias 24 e 31 de outubro nas regiões de Araraquara, Avaré, Bebedouro, Casa Branca, Franca, Frutal, Itapetininga, Lins, Novo Horizonte e Santa Cruz do Rio Pardo.