Comércio e representações de produtos agrícolas Ltda.
(17) 3361.1589
(17) 3361.4407
21 fev 2018

Secretário de Agricultura do Estado de São Paulo Arnaldo Jardim visita Catanduva

No dia 16 de fevereiro de 2018 a Safra Rica e a Associação dos Fornecedores de Cana da Região de Catanduva promoveram um encontro entre os fornecedores de cana-de-açúcar da região com o Secretário de Agricultura do Estado de São Paulo Arnaldo Jardim.

Arnaldo Jardim, que é Deputado Federal (licenciado), destacou o potencial do Agronegócio para a retomada do desenvolvimento econômico do país, destacando também as novas políticas públicas de incentivo a produção agrícola e a visão do governo sobre o Agronegócio.

O Secretário recebeu das mãos da Presidente da Associação de Cana, Nadia Gomieri, o título de Associado Honorário da Associação de Fornecedores de Cana.

Também recebeu da Safra Rica, representada pelo Gerente Marcos A. Pavani e de mais dois fornecedores presentes, uma pequena lembrança de sua visita a Catanduva, uma garrafa de cachaça, produto derivado da cana-de-açúcar e tão tradicional na região.

  

12 jan 2018

TERMINA DIA 15/01 O PRAZO PARA O CITRICULTOR INFORMAR AS INSPEÇÕES DO CANCRO E GREENING

O citricultor (proprietário, arrendatário ou ocupante a qualquer título) do estado de São Paulo tem até o dia 15 de janeiro para informar à Coordenadoria de Defesa Agropecuária, as inspeções e as eliminações de plantas com sintomas do greening e do cancro cítrico realizadas no pomar durante o segundo semestre de 2017.

O envio das informações deve ser feito pelo Sistema de Gestão de Defesa Animal e Vegetal (Gedave) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento. O acesso ao sistema é feito pelo endereço https://gedave.defesaagropecuaria.sp.gov.br/. O citricultor deve informar, no mínimo, uma inspeção obrigatória por trimestre, ou seja, ao menos duas inspeções devem ter sido realizadas durante o semestre.

Mesmo não encontrando plantas cítricas com sintomas de greening e cancro cítrico, ou tendo sido eliminadas todas as plantas cítricas da propriedade é preciso preencher o relatório e enviá-lo, pois este procedimento é de comunicação obrigatória.

Para eventuais comprovações em auditorias realizadas pelo órgão oficial de defesa agropecuária a orientação é que o relatório enviado seja impresso e guardado.

Deixar de entregar informar no relatório as inspeções e as eliminações de plantas com sintomas do greening e do cancro cítrico sujeita o citricultor a multas que variam de 100 a 500 unidades fiscais do estado de São Paulo (Ufesps). O valor de cada unidade é de R$25,70.

Por Teresa Paranhos

Assessoria de Comunicação

Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo

(19) 3045.3447

Fonte: FUNDECITRUS